domingo, 28 de janeiro de 2018

Resenha: Tartarugas Até Lá Embaixo de John Green

16:54:00

Livro: Tartarugas Até Lá Embaixo
Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Compre: Amazon
Sinopse: Depois de seis anos, milhões de livros vendidos, dois filmes de sucesso e uma legião de fãs apaixonados ao redor do mundo, John Green, autor do inesquecível A culpa é das estrelas, lança o mais pessoal de todos os seus romances: Tartarugas até lá embaixo.

A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido - quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro - enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC).

Repleto de referências da vida do autor - entre elas, a tão marcada paixão pela cultura pop e o TOC, transtorno mental que o afeta desde a infância -, Tartarugas até lá embaixo tem tudo o que fez de John Green um dos mais queridos autores contemporâneos. Um livro incrível, recheado de frases sublinháveis, que fala de amizades duradouras e reencontros inesperados, fan-fics de Star Wars e - por que não? - peculiares répteis neozelandeses.


ResenhaTartarugas Até Lá Embaixo é o primeiro romance do autor John Green desde o sucesso de A Culpa é das Estrelas em 2012. Enquanto esse livro abordava a questão dos adolescentes com câncer, este novo romance concentra-se em uma protagonista que sofre de ansiedade e pensamentos e comportamentos obsessivo-compulsivo. Green, que compartilhou publicamente que também tem TOC, baseou as lutas da personagem principal em suas próprias experiências de vida.

Em Tartarugas Até Lá Embaixo, John Green conta a história de Aza Holmes, de 16 anos, que luta contra o transtorno obsessivo-compulsivo, pensamentos intrusivos e repetitivos e extrema ansiedade. Aza tem uma melhor amiga, Daisy Ramirez, uma extrovertida entusiasta (e fã de Star Wars) que pode falar sobre qualquer coisa com qualquer um. Os pensamentos indesejados de Aza fazem com que ela se sinta desconectada de si mesma e do aqui e agora. Sua principal preocupação é que ela pode contrair uma infecção bacteriana como C. diff.

"- Tanto faz. O mais apavorante não é girar sem parar numa espiral crescente, é girar sem parar na espiral que se afunila. È ser sugado para um redemoinho que vai se fechando mais e mais e esmagando seu mundo até você estar apenas girando sem sair do lugar, preso numa cela que é exatamente do seu tamanho e nem um milímetro a mais, até você finalmente se dar conta de que na verdade não está preso na cela. Você é a cela."

Quando um bilionário local de Indianápolis desaparece e a polícia oferece uma recompensa de US $ 100.000 por informações sobre seu paradeiro Aza e sua melhor amiga Daisy decidem resolver o mistério do bilionário fugitivo. Elas planejam descobrir onde ele desapareceu para que elas possam reivindicar a recompensa. Para resolver o mistério, Aza tem que se reconectar com o filho do fugitivo, Davis Pickett, seu amigo de infância. Embora isso acrescente mistério, drama e romance ao livro, é apenas metade da história.

Aza e Davis imediatamente se conectam e parece que um romance está destinado a desenvolver-se no meio de um mistério promissor. Mas este é um romance de John Green e as coisas nem sempre são como parecem.

"Você se lembra do seu primeiro amor porque os primeiros amores mostram - provam - que você pode amar e ser amada, que nada nesse mundo é merecido exceto o amor, que o amor é ao mesmo tempo como e por que você se torna uma pessoa."

O romance é um equilíbrio entre o que Aza experimenta no mundo exterior com todos os seus amigos e sua constante batalha interna. A narrativa de Green explora sensivelmente o sofrimento causado por transtorno obsessivo-compulsivo. 

"Tartarugas Até Lá Embaixo" é uma expressão conhecida que reconhece o paradoxo do "Motor Imóvel" que ocorre em um problema de regressão infinita. O paradoxo surgiu de um antigo mito que acreditava que o mundo estava equilibrado na parte de trás de uma grande tartaruga, e aquela tartaruga equilibrada nas costas de outras tartarugas que continuam infinitamente. Assim como as tartarugas, os pensamentos de Aza ficam maiores e mais esmagadores, quanto mais ela continua a pensar sobre eles mais esmagadores eles ficam, anulando completamente sua capacidade de se concentrar.

A saúde mental de Aza é frágil, pois ela constantemente luta contra demônios internos e tenta esconder a extensão de seu problema. Seu TOC está afetando sua vida e ela involuntariamente piora sua situação porque perde o controle. Daisy é uma grande amiga e lembra ao leitor que quase sempre são nossos amigos mais próximos que nos sustentam e nos apoiam.

"Se eu fosse a autora da minha história, teria parado de pensar sobre o meu microbioma. Teria dito a Daisy que a ideia dela para o projeto de Mychal era incrível e teria contado que me lembrava, sim, de Davis Pickett; que me lembrava de quando eu tinha onze anos e vivia com um vago porém constante medo de tudo. Teria contado que me lembrava daquela vez no acampamento, deitada ao lado dele no píer, as pernas pendendo da beirada, as costas coladas na madeira áspera, nós dois olhando para o céu limpo de verão. Teria contado que, mesmo na época, Davis e eu não conversávamos muito, sequer nos olhávamos muito, mas que isso não importava, porque estávamos observando juntos o mesmo céu, o que, para mim, talvez seja mais íntimo do que contato visual. Qualquer um pode olhar para você, mas é muito raro encontrar quem veja o mesmo mundo que o seu."

Como sempre, os personagens de Green são reais, defeituosos e inspiradores. Sua compreensão e experiência compartilhada de doença mental garante que os jovens com problemas de saúde mental sejam retratados com honestidade e realismo. As questões da perda, do sofrimento, da amizade, do primeiro amor e da família apresentam uma grande força a trama. O que o dinheiro pode e não pode comprar torna-se evidente, e como o amor e o apoio da família e dos amigos não podem ser replicados.

Tartarugas Até Lá Embaixo foi o romance de Green mais difícil de ler, mas também o seu mais promissor, porque é tão profundamente realista e pessoal. É uma aventura sincera, inteligente e engraçada.

Em seus agradecimentos, suas palavras finais são: "Pode ser um caminho longo e difícil, mas os transtornos mentais são tratáveis. Há esperança, mesmo que seu cérebro lhe diga que não."

"A vida é uma sequência de escolhas entre incertezas."

Detalhes:

Título: Tartarugas Até Lá Embaixo
Autor: John Green

Tradução: Ana Rodrigues
Lançamento: 10/10/2017
Páginas: 256
Formato: 14 x 21 x 1,4
ISBN: 978-85-510-0200-1
Gênero: Ficção

Resenha: Vejo Você no Espaço de Jack Cheng

16:34:00

Livro: Vejo Você no Espaço
Autor: Jack Cheng
Editora: Intrínseca
Compre: Amazon
Sinopse: Alex tem onze anos e adora o espaço sideral, foguetes, sua família e seu cachorro, Carl Sagan - uma homenagem a seu maior herói, o astrônomo autor de Cosmos e Pálido ponto azul. A missão de vida de Alex é enviar seu iPod dourado para o espaço, do mesmo jeito que Sagan (o cientista, não o cachorro) enviou os Discos de Ouro nas sondas Voyager, em 1977, com sons e imagens da Terra, a fim de mostrar aos extraterrestres como é a vida no nosso planeta. Por isso, Alex constrói um foguete. E por isso ele viaja do Colorado ao Novo México, de Las Vegas a Los Angeles, gravando tudo o que acontece pelo caminho. Ele encontra pessoas incríveis, gentis e interessantes, desencava segredos e descobre que, mesmo para um menino com uma mãe complicada e um irmão ausente, família pode significar algo bem maior do que se imagina.

Um livro tocante e delicioso sobre aprendermos a discernir realidade e aparências, Vejo você no espaço é uma lição de que família também se constrói e de que, com honestidade, força e amor, nos tornamos tão grandes quanto o próprio universo.


ResenhaNão é frequente que um escritor adulto como Jack Cheng possa capturar tão perfeitamente a voz de um garoto de 11 anos. Neste caso, o garoto é Alex Petroski, que "ama espaço e foguetes, sua mãe, seu irmão e seu cão, Carl Sagan - uma homenagem a seu maior herói, o astrônomo e autor".

Alex pode ter apenas 11 anos, mas ele acredita que ele é "mais responsável do que um monte de garotos de catorze anos". Isso provavelmente é verdade, como Alex conta ele faze a maior parte do trabalho doméstico e cozinhar, além de cuidar dele e do Carl.

"Então levei o Carl Sagan para casa comigo, e minha mãe estava deitada no sofá vendo TV, como sempre. Falei Trouxe as compras, mas também trouxe um cachorrinho. Prometo que vou cuidar muito bem dele, vou brincar com ele e dar comida e banho, e falei todas as coisas que a gente tem que dizer nessa hora. 

E ela disse Você está me atrapalhando!, então eu saí da frente da TV. A mãe do Benji, meu melhor amigo, ia pirar se ele levasse um filhote para casa, mas a minha mãe não liga, desde que eu faça o jantar e não incomode enquanto ela assiste à TV. Ela é muito legal.”

O que eu amo sobre esta passagem é como Cheng consegue transmitir a realidade da situação de Alex com tão poucas palavras, mas também retrata sua inocência infantil e sua confiança.

O livro está escrito sob a forma de gravações que Alex está fazendo para colocar em seu foguete. Cada capítulo é uma gravação, geralmente uma narração de Alex sobre o que aconteceu com ele, embora Cheng também inclua ruídos e conversas ambientais, como aconteceria em uma gravação real.

Seguindo o exemplo de seu herói Sagan, Alex pretende enviar o iPod em seu foguete com sons da Terra, incluindo descrições de sua própria vida, como um registro para formas de vida extraterrestres.

A história começa com ele preparando-se para viajar para o FFAAS, um festival de foguetes em Albuquerque, no Novo México.

Mas isso é um problema, já que Alex tem 11 anos e não podem viajar sozinhos nos transportes públicos. Mas, felizmente, ele conhece estranhos gentis que o ajudam ao longo do caminho, incluindo Zed, que também está indo para o FFAAS e está sob um voto de silêncio, e Steve, o amigo de Zed.

Ao longo do caminho, Alex é notificado pelo site Ancestry.com de que alguém com o nome exato e a data de nascimento de seu pai se casou em Las Vegas com alguém chamado Donna (e não o nome de sua mãe).

De repente, perguntando-se se o pai poderia estar vivo, e possivelmente sofrendo de amnésia, Alex decide ir a Las Vegas e tentar procurá-lo, torcendo com Zed e Steve, que estão indo para Los Angeles ao longo do caminho.

Quando uma criança lhe conta uma história, você não pode deixar de rir com as palavras divertidas que elas usam para descrever as coisas. É um mundo diferente para uma criança. Desde a primeira página, Jack Cheng pode fazer você ver o mundo através dos olhos de um menino estranho de onze anos chamado Alex Petroski em seu livro Vejo Você no Espaço, como se ele fosse o próprio menino e você é a pessoa mais velha que escuta a história mais estranha de sua vida. Este livro foi uma grande aventura. Cheng conseguiu escrever tão brilhantemente sobre situações desconfortáveis ​​da perspectiva de uma criança inocente. 

O universo às vezes se dobra para não dar o que você está procurando, mas o que você precisa. Um romance brilhante.

Há alguns grandes temas aqui, todos tratados com compaixão e sempre compreensivelmente. Bondade, otimismo e honestidade triunfam e este livro engraçado, inteligente e extraordinariamente caloroso é uma escolha perfeita para quem leu “Extraordinário” de R.J. Palacio.

Detalhes:

Título: Vejo Você no Espaço
Autor: Jack Cheng

Tradução: Thaís Paiva
Lançamento: 14/11/2017
Páginas: 288
Formato: 14 x 21 x 1
ISBN: 978-85-510-0267-4
Gênero: Ficção

domingo, 21 de janeiro de 2018

Novo trailer de Love, Simon, adaptação do livro "Simon vs. a agenda Homo Sapiens"

16:12:00

A 20th Century Fox divulgou o novo trailer de "Love, Simon". O filme é inspirado em "Simon vs. a agenda Homo Sapiens", romance de Becky Albertalli. A adaptação conta com Nick Robinson (Jurassic World e Tudo e Todas as Coisas), Katherine Langford (13 Reasons Why), Jennifer Garner (De repente 30) e Josh Duhamel (Um Porto Seguro e Transformers).

Dirigida por Greg Berlanti, responsável por séries como Arrow, Flash e Supergirl, a história acompanha a vida de Simon, um adolescente de 16 anos que vive uma paixão secreta e um dilema: será que é preciso mesmo sair do armário e contar aos pais e aos amigos que é gay?




A adaptação tem estreia prevista para 22 de março.

sábado, 30 de dezembro de 2017

Novo livro de John Green, Tartarugas até lá embaixo, vai virar filme

13:59:00

A Fox está de volta aos negócios com John Green .

Tendo atingido o sucesso de bilheteria com "A Culpa é das Estrelas", o estúdio comprou os direitos do último romance de Green, "Tartarugas Até Lá Embaixo". O best-seller acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido - quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro - enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC).

Lançado em 2014, "A Culpa é das Estrelas" foi um grande sucesso para a Fox e se tornou um fenômeno mundial, acumulando 307,2 milhões de dólares em todo o mundo e transformando Shailene Woodley e Ansel Elgort em grandes estrelas. A Fox também colaborou com Green em 2015 ao adaptar "Cidades de Papel", protagonizado por Nat Wolff e Cara Delevingne, mas este não conseguiu igualar o sucesso comercial de "A Culpa é das Estrelas", lucrando apenas 85,5 milhões de dólares no mundo todo.

Green citou suas experiências anteriores e positivas com Fox 2000 como uma das principais razões para sua decisão.

"Isso não significa que definitivamente haverá um filme, mas isso significa que pode haver um", disse Green. "Então agora é a hora de começar a inundar-me com sugestões de elenco".



Temple Hill, que supervisionou "A Culpa é das Estrelas", está produzindo o filme, com Isaac Klausner e Marty Bowen da Fox liderando o projeto. Green produzirá o filme, juntamente com Rosianna Halse Rojas.

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Saiu o trailer da adaptação do romance "Todo Dia", de David Levithan

16:50:00

"Every Day", a adaptação do best-seller "Todo Dia", de David Levithan, acaba de ganhar seu primeiro trailer oficia. 

Ao som da canção "What About Us", da cantora P!nk, o vídeo apresenta a complicada rotina de A, pessoa que acorda todo dia em um corpo diferente, não importando gênero ou personalidade. Mas quando assume a vida de Justin (Justice Smith) por 24 horas, acaba se apaixonando pela namorada dele, Rhiannon (Angourie Rice) - que decide lutar pelo amor dos dois e ajudar A em sua busca por liberdade.


O elenco da adaptação de Every Day também conta com Maria Bello, Debby Ryan, Jacob Batalon (Homem-Aranha: De Volta ao Lar), Lucas Jade Zumann (Mulheres do Século 20), Owen Teague (Bloodline) e Ian Alexander (The OA). A direção é de Michael Sucsy (Para Sempre, Grey Gardens), enquanto o roteiro é assinado por Jesse Andrews (autor de Eu, Você e a Garota que Vai Morrer).


Ainda sem previsão de lançamento no Brasil, Every Day chega aos cinemas norte-americanos em 23 de fevereiro.

"Me Chame Pelo Seu Nome" livro que inspirou o filme de mesmo nome já está em pré-venda

16:37:00

Já está em pré-venda na Amazon o livro "Me Chame Pelo Seu Nome", do autor Aciman André. O livro será lançado no dia 05 de janeiro de 2018.

"Me Chame Pelo Seu Nome" inspirou o filme dirigido por Luca Guadagnino, aclamado nos festivais de Berlim, Toronto, do Rio, no Sundance e um dos principais candidatos ao Oscar de 2018.


A casa onde Elio passa os verões é um verdadeiro paraíso na costa italiana, parada certa de amigos, vizinhos, artistas e intelectuais de todos os lugares. Filho de um importante professor universitário, o jovem está bastante acostumado à rotina de, a cada verão, hospedar por seis semanas na villa da família um novo escritor que, em troca da boa acolhida, ajuda seu pai com correspondências e papeladas. Uma cobiçada residência literária que já atraiu muitos nomes, mas nenhum deles como Oliver.

Elio imediatamente, e sem perceber, se encanta pelo americano de vinte e quatro anos, espontâneo e atraente, que aproveita a temporada para trabalhar em seu manuscrito sobre Heráclito e, sobretudo, desfrutar do verão mediterrâneo. Da antipatia impaciente que parece atravessar o convívio inicial dos dois surge uma paixão que só aumenta à medida que o instável e desconhecido terreno que os separa vai sendo vencido. Uma experiência inesquecível, que os marcará para o resto da vida.

Com rara sensibilidade, André Aciman constrói uma viva e sincera elegia à paixão, em um romance no qual se reconhecem as mais delicadas e brutais emoções da juventude. Uma narrativa magnética, inquieta e profundamente tocante.


Me Chame Pelo Seu Nome chegará aos cinemas brasileiros no dia 18 de janeiro de 2018.

Divulgada a capa do novo livro da autora de “Como eu era antes de você”

16:26:00

O terceiro livro da sequência Como eu era antes de você, de Jojo Moyes, ganhou capa nacional e data de lançamento no Brasil. Segundo a editora Intrínseca, "Ainda sou eu" será lançado no dia 08 de fevereiro de 2018.

Ainda sou eu vem após Depois de Você, segundo livro da série, que foi lançado em 2015 e mostra Lou tentando lidar com a morte de Will, em meio a uma revelação surpreendente sobre ele. Já o terceiro romance de Jojo Moyes segue a história da protagonista após sua mudança para Nova York, enquanto tenta manter um relacionamento à distância com seu novo namorado, Sam.


Sequência dos romances Como eu era antes de você e Depois de você, que arrebataram o coração de milhares de fãs, Ainda sou eu conta, pela perspectiva delicada e bem-humorada de Lou Clark, uma história comovente sobre escolhas, lealdade e esperança.

Lou Clark chega em Nova York pronta para recomeçar a vida, confiante de que pode abraçar novas aventuras e manter seu relacionamento a distância. Ela é jogada no mundo dos super-ricos Gopnik — Leonard e a esposa bem mais nova, e um sem-fim de empregados e puxa-sacos. Lou está determinada a extrair o máximo dessa experiência, por isso se lança no trabalho e, antes que perceba, está inserida na alta sociedade nova-iorquina, onde conhece Joshua Ryan, um homem que traz consigo um sopro do passado de Lou.

Enquanto tenta manter os dois lados de seu mundo unidos, ela tem que guardar segredos que não são seus e que podem mudar totalmente sua vida. E, quando a situação atinge um ponto crítico, ela precisa se perguntar: Quem é Louisa Clark? E como é possível reconciliar um coração dividido?

Sequência dos romances Como eu era antes de você e Depois de você, que arrebataram o coração de milhares de fãs, Ainda sou eu conta, pela perspectiva delicada e bem-humorada de Lou Clark, uma história comovente sobre escolhas, lealdade e esperança.

O livro já está em pré-venda na Amazon.

Pré-venda do livro "É assim que acaba", da autora Colleen Hoover

16:23:00

A editora Galera Record revelou a capa nacional do livro "É assim que acaba", escrito pela autora Colleen Hoover. O livro será lançado no dia 05 de fevereiro de 2018.



Um romance sobre a força necessária para fazer as escolhas corretas nas situações mais difíceis. Da autora das séries Slammed e Hopeless Lily nem sempre teve uma vida fácil, mas isso nunca a impediu de trabalhar arduamente para conquistar a vida tão sonhada. Ela percorreu um longo caminho desde a infância, em uma cidadezinha no Maine: se formou em marketing, mudou para Boston e abriu a própria loja. Então, quando se sente atraída por um lindo neurocirurgião chamado Ryle Kincaid, tudo parece perfeito demais para ser verdade. Ryle é confiante, teimoso, talvez até um pouco arrogante. Ele também é sensível, brilhante e se sente atraído por Lily. Porém, sua grande aversão a relacionamentos é perturbadora. Além de estar sobrecarregada com as questões sobre seu novo relacionamento, Lily não consegue tirar Atlas Corrigan da cabeça — seu primeiro amor e a ligação com o passado que ela deixou para trás. Ele era seu protetor, alguém com quem tinha grande afinidade. Quando Atlas reaparece de repente, tudo que Lily construiu com Ryle fica em risco. Com um livro ousado e extremamente pessoal, Colleen Hoover conta uma história arrasadora, mas também inovadora, que não tem medo de discutir temas como abuso e violência doméstica. Uma narrativa inesquecível sobre um amor que custa caro demais.

O livro já está em pré-venda na Amazon.

Segundo volume da série "Cinquenta Tons de Cinza Pelos Olhos de Christian" já está em pré-venda

16:17:00

Já está em pré-venda na Amazon o segundo volume da série Cinquenta Tons de Cinza Pelos Olhos de Christian, intitulado "Mais Escuro", escrito pela autora britânica E L James

O livro está previsto para ser lançado no dia 19 de janeiro de 2018.



E L James revisita Cinquenta tons com um mergulho mais profundo e sombrio na história de amor que envolveu milhões de leitores em todo o mundo.

O relacionamento quente e sensual de Anastasia Steele e Christian Grey chega ao fim com muitas acusações e sofrimento, mas Grey não consegue tirar Ana da cabeça. Determinado a reconquistá-la, ele tenta suprimir seus desejos mais obscuros e sua necessidade de controle absoluto, e disposto a amar Ana nos termos estabelecidos por ela.

Mas os horrores de sua infância ainda o assombram, e, como se não bastasse, o chefe manipulador de Ana, Jack Hyde, claramente a quer. Será que o terapeuta e confidente de Grey, Dr. Flynn, poderá ajudá-lo a enfrentar seus demônios? Ou será que a possessividade de Elena, sua sedutora, e a devoção perturbada de Leila, sua ex-submissa, vão arrastá-lo para o passado?

E se Christian vai reconquistar Ana, será que um homem tão sombrio e cheio de problemas espera mesmo mantê-la?

Love, Simon: Adaptação do livro "Simon vs. a agenda homo sapiens" de Becky Albertalli ganha primeiro trailer

16:15:00

A Twenty Century Fox divulgou o aguardado primeiro trailer da adaptação do livro "Simon vs. a agenda homo sapiens" de Becky Albertalli.


Aos 16 anos, Simon Spier (Nick Robinson) não é abertamente gay, preferindo guardar seu drama para o musical da escola. Um dia, um dos seus emails acaba caindo em mãos erradas, colocando em risco o seu secreto. Simon começa a ser chantageado. Ele deve ajudar o "palhaço" da classe a sair com a garota de quem gosta ou terá sua homossexualidade exposta junto com o nome do garoto com quem estava conversando.


Dirigido por Greg Berlanti (produtor executivo de séries como The Flash, Supergirl, Riverdale), Love, Simon tem no elenco ainda Katherine Langford (13 Reasons Why), Alexandra Shipp (X-Men: Apocalipse), Keiynan Lonsdale (The Flash), Jennifer Garner e Josh Duhamel. O roteiro é de Isaac Aptaker e Elizabeth Berger, ambos de This Is Us.

Love, Simon tem estreia marcada para 16 de março de 2018 nos EUA. Não há previsão no Brasil.

sábado, 4 de novembro de 2017

Resenha: Nimona de Noelle Stevenson

13:17:00

Livro: Nimona
Autor: Noelle Stevenson
Editora: Intrínseca
Compre: Amazon
Sinopse: Nimona é uma metamorfa sem limites nem papas na língua, cujo maior sonho é ser comparsa de Lorde Ballister Coração-Negro, o maior vilão que já existiu. Mas ela não sabia que seu herói possuía escrúpulos. Menos ainda uma deliberada missão.

Até conhecer Nimona, Ballister fazia planos que jamais davam certo. Felizmente, a garota tem muitas sugestões para reverter esse quadro. Infelizmente, a maioria envolve explosões, sangue e mortes. Agora, Coração-Negro não só tem que enfrentar seu arqui-inimigo e ex-amigo, o célebre e heroico Sir Ambrosius Ouropelvis, mas também impedir que a fiel comparsa destrua todo o reino ao tentar ajudá-lo.

Uma história subversiva e irreverente que mistura magia, ciência, ação e muito humor sobre camadas e mais camadas de reflexão - entre uma batalha e outra, é claro.


ResenhaNimona originou-se como uma experiência de arte universitário de algumas páginas que se expandiu para um webcomic, publicado quinzenalmente no site de Stevenson ao longo de dois anos. O que começou em um estilo visual e narrativamente simples em junho de 2012 rapidamente se tornou mais elaborado e sofisticado. Em 2013, a série ganhou o prêmio Slate Cartunist Studio Prize de Melhor Web Comic.

Nimona é uma metamorfo deliciosamente caótica que se nomeia para o cargo de "supervisor" para supervisionar Lorde Ballister Coração-Negro. Juntos, eles têm aventuras, traçam planos malignos (ou não tão malvados), jogam jogos de tabuleiro, participam de feiras científicas e, talvez, salvem o mundo. O mundo em questão é um fantasma/sci-fi mash com uma corporação inventando tecnologia avançada ao lado de um típico município medieval. O inimigo jurado de Coração-Negro é Sir Ambrosius Ouropelvis, um ex-amigo que é responsável pelo braço perdido de Blackheart. O relacionamento evolutivo entre Ballister e Ambroisius foi uma sub-trama tão perfeito que deu aos personagens uma grande profundidade.
Nimona acrescenta muita vida à história com seu entusiasmo pela perversidade e caos, e sua habilidade em mudar de forma em qualquer criatura viva, incluindo um dragão, permite que ela cause muita destruição. À medida que o livro progride, mostra que Nimona reteve muito sobre suas capacidades e o mistério de sua verdadeira natureza e poder está no cerne da história. Eu não vou entrar em detalhes sobre isso para evitar spoilers, mas vou acrescentar que está será uma das melhores HQ’s que você lerá na vida.

A melhor parte sobre Nimona é como Stevenson joga com os tropos de ficção científica e romances de fantasia. Nenhum dos personagens principais é o que você poderia chamar de "bom", mas ambos têm boas qualidades e conjuntos de moral muito diferentes. Cada um dos personagens centrais faz parte do "antagonista" na história, sem que o enredo se torne complicado ou ridículo. Ao fazer isso, Stevenson demonstra a complexidade da moral ao mostrar, ao invés de contar, os leitores que o mundo é um lugar complexo e suas decisões tornam você quem você é.

Ao ler Nimona, eu ri muito mais vezes do que eu posso contar. Esta é sem dúvida minha HQ favorita até agora.
Detalhes:

Título: Nimona
Autor: Noelle Stevenson

Tradução: Flora Pinheiro
Lançamento: 22/09/2016
Páginas: 272
Formato: 16 x 23 x 1,4 cm
ISBN: 978-85-8057-902-4
Gênero: Ficção

Resenha: Piano Vermelho de Josh Malerman

13:09:00

Livro: Piano Vermelho
Autor: Josh Malerman
Editora: Intrínseca
Compre: Amazon
Sinopse: Ex-ícones da cena musical de Detroit, os Danes estão mergulhados no ostracismo. Sem emplacar nenhum novo hit, eles trabalham trancados em estúdio produzindo outras bandas, enchendo a cara e se dedicando com reverência à criação - ou, no caso, à ausência dela. Uma rotina interrompida pela visita de um funcionário misterioso do governo dos Estados Unidos, com um convite mais misterioso ainda: uma viagem a um deserto na África para investigar a origem de um som desconhecido que carrega em suas ondas um enorme poder de destruição.

Liderados pelo pianista Philip Tonka, os Danes se juntam a um pelotão insólito em uma jornada pelas entranhas mortais do deserto. A viagem, assustadora e cheia de enigmas, leva Tonka para o centro de uma intrincada conspiração.

Seis meses depois, em um hospital, a enfermeira Ellen cuida de um paciente que se recupera de um acidente quase fatal. Sobreviver depois de tantas lesões parecia impossível, mas o homem resistiu. As circunstâncias do ocorrido ainda não foram esclarecidas e organismo dele está se curando em uma velocidade inexplicável. O paciente é Philip Tonka, e os meses que o separam do deserto e tudo o que lá aconteceu de nada serviram para dissipar seu medo e sua agonia. Onde foram parar seus companheiros? O que é verdade e o que é mentira? Ele precisa escapar para descobrir.

Com uma narrativa tensa e surpreendente, Josh Malerman combina em Piano Vermelho o comum e o inusitado numa escalada de acontecimentos que se desdobra nas mais improváveis direções sem jamais deixar de proporcionar aquilo pelo qual o leitor mais espera: o medo.


ResenhaA originalidade potente que faz de Malerman uma voz tão importante continua a prosperar em Piano Vermelho, na qual ele apresenta uma idéia que rivaliza com o seu melhor trabalho (Caixa de Pássaros): e se um som pudesse fazer mais do que apenas ser ouvido - e se pudesse debilitar, aleijar, desarmar, ou mesmo mudar o curso da história?

Malerman é meu autor favorito por uma boa razão; Suas obras abrem a mente ao tipo de noções de pesadelo que, por sua vez, dão vida aos mistérios mais poderosos. O tipo de mistérios que te mantêm teorizando o tempo todo.

Quatro músicos são enviados para perseguir a fonte de um som que os militares registraram, mas não conseguiram localizar - um som que desarmou suas armas e que deixa o ouvinte doente. É um enigma do som que o governo dos EUA naturalmente considera uma ameaça, até o ponto em que desistiu de enviar soldados e agora reverteu para enviar "especialistas em som" - um grupo de músicos chamado os Danes.

Philip Tonka, o pianista dos Danes e um homem que acredita em seguir sua própria versão do destino - é o foco do romance. Nós alternamos entre o presente, em que Philip está se recuperando no hospital (após o som quebrar todos os ossos do seu corpo) sob o cuidado de uma enfermeira bondosa que se apaixona por ele (Ellen) e o passado, em que Philip e o resto dos Danes (juntamente com alguns outros homens cruciais) partiram de sua missão para localizar a fonte do som indescritível.

No entanto, o que parece uma missão relativamente fácil logo se transforma em uma jornada perigosa e mortal através das areias implacáveis ​​do deserto abrasador. Antes de encontrá-lo, tudo o que os homens sabem sobre a realidade e o som, mudará para sempre.

Piano Vermelho é um dos melhores romance de suspense, outro testemunho das habilidades excepcionais de narrativa de Malerman. À medida que a história avança, os leitores irão virar as páginas mais rápido e mais rápido até o fim, desejando saber o que acontece com esses personagens. 

Piano Vermelho é inteligente, desafiador e carregado com questões difíceis e eventos abertos à interpretação. Um romance único e impressionantemente original.

Detalhes:

Título: Piano Vermelho
Autor: Josh Malerman

Tradução: Alexandre Raposo
Lançamento: 05/07/2017
Páginas: 320
Formato: 15,5 x 23 x 1,6 cm
ISBN: 978-85-510-0206-3
Gênero: Ficção

Love, Simon: Adaptação de 'Simon vs. a agenda Homo Sapiens' ganha primeiras imagens

12:59:00
A Entertainment Weekly divulgou as primeiras imagens da comédia romântica Love, Simon; adaptação comandada por Greg Berlanti (The Flash).



Aos 16 anos, Simon Spier ainda não assumiu sua homossexualidade publicamente. Quando um de seus e-mails vai parar em mãos erradas, ele passa a ser chantageado e precisa ajudar o "palhaço" da classe a arranjar uma namorada... Para complicar a situação, ele começa um romance online com um dos colegas de classe.

Essa é a premissa de "Simon vs. a agenda Homo Sapiens" (Intrinseca), best-seller de Becky Albertalli, que vai invadir as telonas em 2018.







Love, Simon é do mesmo estúdio e produtores de "A Culpa é das Estrelas", a adaptação cinematográfica conta com Nick Robinson (Jurassic World), Jennifer Garner (Miracles from Heaven), Josh Duhamel (Transformers: The Last Knight), Katherine Langford (13 Reasons Why), Alexandra Shipp (X-Men: Apocalipse) e Jorge Lendeborg Jr. (Homem-Aranha: De Volta ao Lar). 

O filme tem previsão de estreia para março de 2018.

Black Mirror, série de TV da Netflix vai virar livro

12:59:00

Black Mirror, série de TV da Netflix, vai ganhar uma adaptação para livros nos Estados Unidos, segundo a Entertainment Weekly.


A editora Penguin Random House, anunciou o lançamento de uma trilogia original editada por Charlie Brooker, o criador do programa. Os autores ou a trama ainda não foram revelados, mas o primeiro romance deve chegar às lojas em fevereiro de 2018, com o seguinte sendo publicado no fim do mesmo ano e o terceiro chegando em 2019.

"Novas histórias de Black Mirror por ótimos autores! É uma ideia agradável", disse Brooker em comunicado. "Elas utilizarão um formato de tecnologia de ponta chamado 'livro' onde você olha para uma espécie de código em tinta no papel, que faz as imagens e sons magicamente aparecerem na sua cabeça. Parece exagero mas nós veremos."

A quarta temporada de “Black Mirror” chegará no final deste ano, na Netflix.

domingo, 29 de outubro de 2017

Resenha: Deuses Americanos de Neil Gaiman

16:28:00

Livro: Deuses Americanos 
Autor: Neil Gaiman
Editora: Intrínseca
Compre: Amazon
Sinopse: Deuses americanos é, acima de tudo, um livro estranho. E foi essa estranheza que tornou o romance de Neil Gaiman, publicado pela primeira vez em 2001, um clássico imediato. Nesta nova edição, preferida do autor, o leitor encontrará capítulos revistos e ampliados, artigos, uma entrevista com Gaiman e um inspirado texto de introdução.

A saga de Deuses americanos é contada ao longo da jornada de Shadow Moon, um ex-presidiário de trinta e poucos anos que acabou de ser libertado e cujo único objetivo é voltar para casa e para a esposa, Laura. Os planos de Shadow se transformam em poeira quando ele descobre que Laura morreu em um acidente de carro. Sem lar, sem emprego e sem rumo, ele conhece Wednesday, um homem de olhar enigmático que está sempre com um sorriso no rosto, embora pareça nunca achar graça de nada.

Depois de apostas, brigas e um pouco de hidromel, Shadow aceita trabalhar para Wednesday e embarca em uma viagem tumultuada e reveladora por cidades inusitadas dos Estados Unidos, um país tão estranho para Shadow quanto para Gaiman. É nesses encontros e desencontros que o protagonista se depara com os deuses — os antigos (que chegaram ao Novo Mundo junto dos imigrantes) e os modernos (o dinheiro, a televisão, a tecnologia, as drogas) —, que estão se preparando para uma guerra que ninguém viu, mas que já começou. O motivo? O poder de não ser esquecido.


ResenhaNão é de se surpreender que o livro de Neil Gaiman Deuses americanos trata-se de mitologias mortas e sistemas de crenças desvanecidas. Gaiman fez carreira dando um novo ar para mitos antigos, dos muitos personagens de quadrinhos da DC que ele ressuscitou para sua premiada série Sandman, desde fadas que habitam seu primeiro romance, Lugar Nenhum. Também não é de se surpreender que Deuses Americanos é uma história peculiar e envolvente que mistura as melhores qualidades de um conto de fadas com os aspectos mais convincentes de um romance clássico. 

A jornada começa quando o protagonista, um homem calmo e impetuoso, conhecido como Shadow, é liberado da prisão uns dias antes, devido a morte acidental de sua esposa, Laura. 

Em pouco tempo Shadow está submerso em um mundo oculto que existe dentro e ao redor do familiar. Quanto ele e o senhor quarta-feira viajam pelo país, eles encontram um crescente número de deuses que desapareceram, essas culturas e adoradores morreram em grande parte a muito tempo. 

A missão de quarta-feira é unir essas divindades fracas e envelhecidas contra o novo e brilhante regime dos deuses tecnológicos e orientados para mídia, já objetivo de Shadow é  principalmente servir e sobreviver, já que fica claro que quarta-feira enfrenta oposição brutal. 

Deuses Americanos é seguro e ambicioso sem lembrar de nada exceto as histórias de Sandman, do próprio Gaiman. 

O fundamento sólido e crível de Shadow nas pequenas trivialidades do mundo real rivaliza com o fundamento do livro no fantástico e arcano mundo das antigas teologias; esses dois aspectos se encontram e se fundem para formar um romance coeso e convincente que se aproxima do melhor trabalho de Gaiman.

Detalhes:

Título: Deuses Americanos
Autor: Neil Gaiman

Tradução: Leonardo Alves
Lançamento: 24/10/2016
Páginas: 576
Formato: 16 x 23 x 2,8 cm
ISBN: 978-85-510-0072-4
Gênero: Ficção

FOLLOW @ INSTAGRAM

Sobre Nós

PaperTowns

Criado em Março de 2013, o The Paper Towns surgiu como um simples blog voltado para o mundo da literatura. A proposta do The Paper Towns é, sem dúvida, criar entretenimento literário diversificado e diferenciado para seus leitores. Temos como objetivo, informar, dar opiniões, resenhar, tudo relacionado com o mundo literário.




Facebook

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *